domingo, agosto 24, 2014

15 semanas

São marcadas por esta barriga bonita e por uma quantidade de listas. Listas de quê perguntam vocês?! Lista de coisinhas que sei que vou ter falta, da farmácia e de coisas que tenho de comprar e antes que me esqueça (já vos disse que ando tão, mas tão esquecida?!) aponto tudinho.(Qualquer dia publico as listas para me darem umas dicas)
Ando a perguntar as amigas com bébés o que acham disto e daquilo para não comprar nada que não seja preciso, mas mesmo assim agora é que me dou conta que é preciso tantaaaa coisa...enfim...
Já tenho algumas coisinhas para o bebé...acham cedo? Começamos a comprar para não deixarmos tudo para os últimos meses e assim parece que nos custa muito menos. Já temos 8 bodies, 3 babygrows, o fatinho abaixo, 2 barretes, 2 babetes, 10 fraldas bordadas pela avó (num acto de loucura bordou 10 fraldas,foi mais rápida que a própria sombra), 2 toalhas, 5 meias e uns 3 jogos de lençóis que a bisavó fez. (Mães acham que são precisos quantos bodies e calcinhas? A familia acha que chega e as minhas amigas que já foram mães dizem-me que preciso de mais...)
O que me tem stressado bastante tem sido a comida, já vos disse que não sou imune à toxoplasmose e não tenho defesas contra a Listeria...pois é, tenho de pensar muito bem antes de comer qualquer coisa e as refeições têm me dado um bocadinho a volta à cabeça. Outra das coisas que tenho pensado bastante é como é que me vou organizar com um bebé em casa, nunca fui nem sou a rainha da organização mas mal ou bem as coisinhas iam-se fazendo mas agora vem ai mais um. Vem ai alguém que depende de mim e do pai para tudo e quando penso nisso às vezes só me vem a seguinte frase à cabeça "OMG estamos feitos ao bife!", depois respiro duas vezes e penso que há milhares de pessoas que têm os mesmos horários e conseguem, que vai ser fácil e os primeiros meses em casa vão servir para criar essas rotinas e quando voltar ao trabalho já está tudo em ordem. Assim seja...
Terça-feira é dia de consulta e já estou desejando ver o meu bébézinho novamente...


                                                            A primeira roupinha que os papás compraram



10 comentários:

  1. Acho que regra é mesmo "No Stress." Tudo se arranja :)

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu acabei por ter a vida facilitada com a roupa...tive muita emprestada e ainda bem! Dói o coração de comprar roupa e acabar por não a vestir. Por exemplo, o babygrow do 2º dia de vida, foi só mesmo para esse dia (e ficou esticadinho!).
    Por vezes, compramos muito e depois não usamos! Tive a vantagem do "não usei, mas também não paguei" :) (portanto, não se estragou muito!).

    Aqui vão os "bitaites" que se aplicaram a mim...mas cada caso é um caso:

    .Bodies - 8 não são demais (há dias que só precisas de um, há dias que precisas de muitos!). Depois, há aquela coisa de, se tens pouquinhos, tens de andar a lavar/secar/passar todos os dias.
    Eu não gosto de ver fatos a "abanar" nos bebés, mas é preferível ficar mais larguinho (que sempre dá para mais tempo).

    ... mas para mim, mais importante que a quantidade, foi a "fisionomia" da roupa. Nos primeiros tempos, nada de enfiar pela cabeça - são bastante sensíveis nessa área e o facto de despirmos e vestirmos muitas vezes faz com que precisemos de coisas práticas.
    .Calcinhas de dentro- comprei muitas e acabei por quase não usar..mas Abril não é o mesmo que Fevereiro - até pode ser que precises...
    .Babygrows - com mola no meio das pernas (requisito obrigatório para mim). Tinha alguns emprestados, de abotoar atrás mas não gostei das experiências. Vira, desvira, volta e volta a virar...é mais cansativo para eles do que para nós.
    .Roupas de duas peças nos primeiros tempos: prefiro mesmo os babygrows e pijaminhas de uma peça. Ficam mais aconchegados. Nas duas peças, há sempre tendência para a parte de cima se enrolar e ficarem com as costas "mais nuas".

    .Acho que deves ter a roupinha para os primeiros tempos porque não vais ter paciência/tempo para sair de casa e ires ao Centro Comercial a lojas de roupa :), mas não MUITA coisa que acaba por ser desnecessário.

    Sinceramente, vai depender muito de ti e do bebé. Vais ter fases de precisares de milhentos babetes (especialmente se bolçar muito), vais ter fases de precisares de milhentas fraldas de pano...mas isso vai depender muito de vocês e só o tempo dirá o que realmente vos faz falta.

    O resto da organização e blá, blá, blá, podes tentar algumas coisas antes que ajudam, mas saberes o que realmente resulta, só mesmo quando o bebé nascer e veres "in loco" como corre tudo. Preparar sem stressar :)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas dicas ;) Beijinhos grandes

      Excluir
  3. Ena pah! Fartei-me de escrever :) ...e não disse tudo!

    ResponderExcluir
  4. CuCu* Eu tenho pouca coisa! Reaproveitei imenso do que era meu e da minha irmã :D (e que estava em excelente estado)
    Eu concordo com o que a Luciana escreveu! Há imensa coisa que é mais "marketing" que outra coisa! Às vezes fico triste porque as pessoas não perguntam por ti/pela gravidez, mas sim por aquilo que é suposto ter!
    Eu arranjei imensa coisa emprestada! Acho que com isso poupamos uns cobres! :D
    Em compensação tivemos (mesmo) de comprar o carrinho (é um rombo no orçamento)
    Muitos beijinhos*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiii eu vou reaproveitar o meu berço que ainda existe e o meu movél da roupinha, os meus pais ainda tinham as duas coisas guardadas no sotão. Sim tens razão, há coisas que é mesmo só marketing e que não vou comprar e há coisas que a minha melhor amiga me vai emprestar, foi mamã há poucos meses. Pois também vamos comprar o carrinho e vamos investir num bom porque onde moramos as ruas são de calçada e no Alentejo também, por isso tem de ser um carrinho estável e que não comece logo a tremer. Beijinhos grandes e vai dando noticias

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Eu acabei por comprar pouca roupa, porque emprestaram e ofereceram muita coisa.

    ResponderExcluir

Vá toca a comentar